O Professor Corujão, então, voltou-se para o homem e indagou:

    – Há uma maneira de se saber exatamente onde você chegaria com o seu avião?

    O homem, demonstrando alegria, respondeu:

    – Sim. Após as montanhas aparece uma imensa planície cortada por dois rios que se encontram e seguem como se fossem apenas um. Ali está uma pequena cidade. Deve estar toda enfeitada. Muita gente no aeroporto. Inquieta, é claro. Olhando o céu, à espera do meu avião. E qualquer objeto, mesmo o pombo, que por ali passe será notado tal a desconfiança do motivo pelo qual ainda não cheguei. A dúvida é dupla: do local de onde parti e do local onde deveria chegar.

    O Professor Corujão mostrou-se seguro:

    – O pombo há de chegar. E com ele a mensagem e o que lhe aconteceu. Acho até mesmo que ele será enfeitado para chamar a atenção de todos. Claro que será muito estranho um pombo todo enfeitado e chegando num horário que poderá coincidir com o da chegada do seu avião. Mas será assim, pois não há outro modo para se tentar salvar a situação.

                                      fig24.gif (7972 bytes)