Porque houvessem chegado nervosos à casa do Professor Corujão, os animais logo chamaram a atenção do Rato e do Burro que, preocupados, passeavam na varanda da casa. O Rato e o Burro eram assistentes do Professor Corujão.

    Mais calmos, os animais contaram o que havia se passado lá na floresta onde o avião havia caído. E pediram que o Rato e o Burro falassem com o sábio sobre o ocorrido. E que o homem fosse estudado com sabedoria. E que alguma coisa lhes fosse esclarecida. O Rato e o Burro sabiam que os animais haviam visto tudo, de longe. O que mais os preocupava era o fato de nos últimos tempos haver aumentado o número de objetos brilhantes e voadores que passavam no céu nas mais variadas velocidades. Algumas vezes, até emitindo sinais luminosos. E por vezes - como naquele caso - caindo lá de cima. E pior: geralmente pegando fogo e pondo a floresta sob risco permanente. Alguma coisa muito estranha poderia estar se passando pela cabeça dos homens, insistiam os animais.