Luiz Nogueira Barros
   
   
 nogueirabarros35@gmail.com  
.
         
Luiz Nogueira Barros
   

_____________

. Principal

. Notícias

. Entrevistas

. Crônicas

. Contos

. Poesias

. Ensaios

. Fábula

. Teatro

. Fallas
  Provinciais

. Governadores
  da República

. Mensagens
  Presidenciais

. 2ª Grande
  Guerra

. In memoriam

_____________

. Maceió

. Manifesto dos
  Estudantes

. Sessão Solene
  de Instalação
  da Ufal

_____________

. Sobre o Autor

_____________

 
 



Visitantes:

contador de visitas

 

CRONICAS




21/11/2009 - 18h09min

Natal: tema para domar leão e adorar Menino !

Urge tudo ao nosso redor...

Fonte: Luiz Nogueira Barros

Tem sido assim: nascemos, crescemos e nos fazemos homens. E mais das vezes homens endurecidos pelas agruras da existência. Urge tudo ao nosso redor:a inocência, a juventude, o despertar, o estudar, o crescer e, finalmente, o encontrar o espaço da nossa realização. E aos poucos vamos passando de cordeiros a leões, que a vida exige assim. Do contrário, numa esquina qualquer da selva do mundo, seremos devorados. E principalmente depois que transportaram a lei da selva para a sociedade humana, num passe de mágica, para que se atendesse à sobrevivência do mais apto, pecado manipulado com uma frieza que choca os mais inocentes projetos de uma vida fraterna sobre o planeta.

Enfim, leões endurecidos pela existência, sacudimos a juba empoeirada nos caminhos e urramos bem alto a que viemos. E nem sempre o que urramos é fruto dos nossos melhores sonhos, das nossas melhores conclusões, senão, por vezes, as sobras de experiências angustiadas. Poucos, e entre eles os santos, os filósofos e os sábios, conseguem ter apascentados os seus piores instintos. E por isso a média geral do comportamento humano pende mais para a falta de fraternidade universal, tal o quadro de horror e guerras instalados no planeta, ou convulsões sociais nesse meridiano ou naquele paralelo - linhas que dividem a humanidade em ilhas ora de angústias e ora de felicidades, feliz ou infelizmente.

Mas eis que é Natal ! Como se fossem uma chave mágica os sininhos tocam aquela musiquinha que aos poucos vai abrindo os nossos corações. As luzes piscam, multicoloridas, em seus arranjos sobre as pequeninas e também sobre as grandes árvores de Natal. Estou nas ruas, nos shoppings, nas lojas e em todos os lugares observando os homens, esses leões endurecidos mas agora com um olhar descontraído. E como o homem é o único animal que sabe rir também rio e recebo risos de cumprimentos. E ouço as mesmas frases da infância:

- Boas Festas e Feliz Ano Novo!

Respondo o mesmo, também descontraído. E percebo a força mágica de tais palavras, mesmo passados todos esses anos. E chego a pensar:

- Os homens ainda não se lembraram de que o Natal poderia ser o momento mais propício para a solução do gravíssimo problema da falta de fraternidade.

E me sinto um tolo, um leão que perdeu a ferocidade. Prossigo entre as pessoas, ávido por lhes dizer mais coisas. Ávido por lhes falar sobre a minha conclusão sobre o Natal. Mas elas estão muito ocupadas, fazendo compras, rindo, desejando boas festas e feliz ano novo, sobrecarregadas de pacotes de presentes. Decido-me por esperar a noite chegar, quando estaremos reunidos. E penso:

- Melhor durante a noite ! Teremos mais tempo para uma conversa...

Mas vem a noite e as pessoas continuam ocupadas com brindes, comidas, abraços, taças de champanhe e vinho, inebriadas pela musiquinha dos sininhos. Descubro que não consigo lhes falar sobre as minhas conclusões. E passo a ver no Natal um velho tema: tema para domar leão e adorar menino! E logo me sinto como um velho leão domado adorando O Menino Jesus - motivo da festa de Natal.

A musiquinha dos sininhos enche os meus ouvidos. As pessoas passam, tontas de alegria e de champanhe.Também bebi um pouco e estou tonto. Confundo as coisas sobre as quais desejava falar? s pessoas. E decido-me por esperar o próximo Natal !





Não foi possível realizar a consulta ao banco de dados